Super Dica de Cinema
  21/02/2022 às 13h19

O Massacre da Serra Elétrica: O Retorno de Leatherface


5
0
O Massacre da Serra Elétrica: O Retorno de Leatherface

Algumas franquias do terror estão adentrando a "moda" de Hollywood nos últimos anos, do tal soft reboot, onde não se ignora o que foi feito antes, mas se dá um novo tom, novos personagens e rumos diferenciados para uma saga conhecida! Normalmente, continuando de onde a narrativa realmente obteve sucesso! "Halloween" fez isso muito bem! "Pânico" acertou em sua quinta continuação e algumas outras histórias pretendem seguir por esse rumo! Contudo, quando um certo ícone do terror já amarga tentativas de retomar a série de filmes malfadadas, se espera algo que possa causar o impacto prometido, tal e qual o filme original!

Neste sentido, 'O Massacre da Serra Elétrica: O Retorno de Leatherface' que chegou na Netflix, amarga uma falta de emoção sem tamanho e uma personalidade quase que vazia nessa continuação direta do clássico de 1974! Apesar do grande acerto no quesito "violência gráfica em filmes de terror", falta apreço pelos personagens, motivações e um desenvolvimento que faça essa história funcionar! Obviamente abraçamos a trasheira, mas ainda assim, não foi dessa vez que o impacto foi novamente causado!

50 anos se passaram desde o massacre no Texas que tirou a vida de um grupo de jovens! Desde então, a cidade onde a lenda do maníaco com máscara de pele humana foi criada entrou em decadência! Assim, com a chegada de investidores dispostos a reavivar o local, uma nova onda de assassinatos irá começar. Colocando um novo grupo de jovens na mira de Leatherface e de sua serra elétrica. Porém, uma figura do passado está pronta para dar um filme nessa figura macabra e aguarda esse momento desde a década de 70!

+ Siga a rádio FM Super também pelo Facebook, Instagram e YouTube.

David Blue Garcia dirige esta que seria uma sequência dos acontecimentos com o grupo de Sally na década de 70! E de certa forma, presta homenagens ao clássico, emulando boa parte do seu visual e tomando certas liberdades para conduzir os acontecimentos que envolvem tanto as vítimas, quanto Leatherface!

E eis que o problema começa!

A direção é completamente automática e sem qualquer traço de emoção ou personalidade! Tudo é realizado de um jeito tão preso a uma certa "fórmula" dessas "continuações-reinício" que faltam manifestações que sejam espontâneas do perigo, do medo e do que realmente está acontecendo naquela cidade do Texas! Isso faz com que não criemos nenhuma empatia pelos personagens! Nem mesmo o retorno da protagonista do original se encaixa dentro desse apressado novo capítulo que desperdiça a chance de realizar algo memorável!

Existem boas ideias? Sim, mas tudo é descartável! Algo que fica mais evidente nas atuações e na construção das figuras que passamos a conhecer! Não há relação alguma do público com eles e quando as mortes começam a acontecer, a torcida fica para que Leatherface consiga exterminar de vez aquela invasão jovem insuportável.

E ainda bem que o "cara de couro" está ali! A produção somente tem acertos quando o vilão está em cena. A viceralidade, o gore, os elementos trash surgem ganhando o espaço que lhes cabe. Temos pessoas sendo cortadas ao meio, membros dilacerados, várias marretadas e a sequência do ônibus é cinema de terror em seu estado mais puro! Infelizmente, o único momento em que você encontra um traço de criatividade nas pouco mais de uma hora e vinte de filme!

Um grupo de "jovens investidores" chega numa cidade praticamente fantasma pretendendo transformar o local numa espécie de "cidade perfeita" afastada de tudo! Porém, Leatherface ainda habita aquele local e a chegada desses forasteiros irá despertar o mal que utiliza da serra elétrica para matar suas vítimas!

Essa premissa seria interessante se não fosse executada por um elenco tão apático e por elementos de narrativa que apenas estão soltos, nos deixando apenas imaginar o que pode ter acontecido!

E podemos colocar em xeque certos pontos: Por que Leatherface está na cidade? Isso não é dito! Uma das protagonistas fala de uma parente que viveu no local e essa informação nunca mais é utilizada. Sally ressurge após cinquenta anos e o que temos sobre a personagem é uma linha de diálogo muito rápida do que ela fez após os ataques, e nada mais. Tanto que isso não sustenta sua postura diante do momento de vingança que tanto estava esperando. Os coadjuvantes não ajudam em nada para o desenvolvimento da trama. O mesmo é dito para o mecânico que parece suspeito, mas está ali apenas para fazer caretas de vilão!

Desta forma, o roteiro não consegue construir atmosfera de terror que nos convença das atrocidades que virão, encerrando o longa de forma abrupta em uma das sequências mais absurdas do gênero. E isso de jeito ruim!

'O Massacre da Serra Elétrica: O Retorno de Leatherface' é uma continuação chocha, capenga, manca, anêmica, frágil e inconsistente!

Apesar do grande acerto no quesito "violência gráfica em filmes de terror", falta apreço pelos personagens, motivações e um desenvolvimento que faça essa história funcionar! Obviamente abraçamos a trasheira, mas ainda assim, não foi dessa vez que o impacto foi novamente causado!

Infelizmente, hoje não Leatherface! Hoje não!

'O Massacre da Serra Elétrica: O Retorno de Leatherface' está disponível na Netflix! 

Will Weber
Geek Guia

Tags
sombra

Promoções
sombra

Artista em Destaque

185
23

Amigos da Super