Super Dica de Cinema
  25/05/2021 às 10h46

Mortal Kombat


5
0
Mortal Kombat

Em 1995, 'Mortal Kombat' dirigido por Paul W. S. Anderson surgia nos cinemas com a tarefa de trazer dos games, uma história adorada por muitos fãs! Não que a narrativa importasse tanto, mas os personagens, a ambientação e as criaturas icônicas deveriam se fazer presentes em um longa tão ambicioso! Dito e feito, a produção se tornou um clássico cult, venerado por muitos até hoje e considerado uma das melhores adaptações de jogos para sétima arte! E assim, chegamos em 2021 e como tudo em Hollywood, a franquia não estava livre de um remake!

'Mortal Kombat' chegou aos cinemas trazendo e revitalizando a narrativa do game criado para abraçar novos espectadores, e quem sabe jogadores, ao mesmo tempo que se apoia na violência habitual da franquia para fundamentar suas referências que vão do início ao fim! Por isso, na mesma intensidade que quer ser algo novo, acaba esquecendo da personalidade que faz do game algo tão icônico! E não estamos falando apenas de sangue jorrando na tela!

Existe um torneio chamado "Mortal Kombat" onde reinos de diferentes locais se enfrentam pelo controle da Terra. Para isso, guerreiro são convocados para defenderem o planeta, liderados por Lorde Raiden. Assim, Cole, Sonya, Liu Kang, Jax e Kano se veem enfrentando inimigos com poderes fora do comum e terão que superar suas próprias limitações para conseguirem derrotá-los. Ao mesmo tempo, uma profecia aponta para o retorno de um antigo guerreiro, colocando então Sub-Zero e Scorpion frente a frente mais uma vez, para que um ato de vingança seja realizado!

Simon McQuoid comanda a produção tentando emular tudo o que encontramos nos games em tão pouco tempo, que sobram ideias e tentativas assertivas, deixando apenas um festival de easter egg e referências que não conseguem sustentar o filme como um todo! Não que isso seja um empecilho para diversão, já que em cada um dos momentos em que vemos em tela algo igual ao jogo, deixa qualquer um repleto de um sentimento nostálgico sem igual!

E é nisso que a produção se sustenta! O diretor consegue criar ótimas sequências de lutas e ação, todas reproduzindo os movimentos dos personagens que encontramos no game, incluindo os golpes especiais e falas icônicas! Quando menos se espera, surge um "fatality" conhecido, um "poder" lançado que não é tão fácil assim de fazer nos controles e as famosas falas do narrador como "finish him" entram para o roteiro tentando comprovar que fazem parte do contexto em questão!

Já que estamos falando desses momentos, quando Sub-Zero e Scorpion se enfrentam aí sim vemos o melhor do diretor em execução! Pois Hiroyuki Sanada e Joe Taslim sabem entregar cenas de combate que elevam ainda mais o que é Mortal Kombat em tela e a câmera acompanha cada um de seus movimentos, nos deixando ainda mais empolgados. E se o filme fosse apenas focado nos dois personagens, na trama de vingança e na construção dos clãs rivais, teríamos uma produção muito melhor! (Algo que foi feito na animação A Vingança de Scorpion)
Contudo, fica complexo questionar esta como uma produção que queira entregar mais do que ser o primeiro longa de uma possível franquia e homenagem para uma obra tão importante da cultura pop! Se ela falha ao passar longe das complexidades narrativas, acerta nas referências. Em contrapartida exagera em apenas ser uma reprodução sem alma do que conhecemos dos games!
Quem diria que o filme Mortal Kombat seria tão complicado assim!?
Como já foi dito, esta é uma daquelas obras que abraçam a galhofa, é perfeita para assistir num domingo à tarde e ousamos dizer que se não fosse a pandemia, seria excelente para reunir a equipe inteira do Geek Guia para conferir! Pois o tanto de comentários que iriam surgir durante a exibição, podia ser usado num próximo roteiro!

+ Siga a rádio FM Super também pelo Facebook, Instagram e YouTube.

E talvez o roteiro deste, faça com que muitas pessoas fiquem irritadas! Sim, é entendível que o conflito entre Sub-Zero e Scorpion acontece de maneira abrupta e nem temos um porquê de eles estarem em "guerra", as questões que envolvem as "arcanas" são justamente para forçar uma explicação do uso de poderes especiais e o fato de termos um deus que consegue fazer muito mais do que transportar pessoas ser deixado de lado constantemente, sumindo da trama toda hora, se tornam absurdas!

Mas é sério que vocês esperavam 90 minutos de explicação profunda de algo que nos deixa arrancar a espinha do adversário quando fazemos os comandos certos? Sério que o debate sobre a falta de "camadas na personalidade do Sub-Zero" são mais importantes do que o personagem usar praticamente todos os golpes conhecidos? É sério mesmo que a gente não pode parar na frente da tela apenas para se divertir e abraçar umas referências?

Ok, existem erros! Ok, não é um filme esplêndido e concordamos com as inúmeras falhas narrativas! Só que o Kano arrancou o coração de um monstro com as mãos, o Liu Kang usou suas sequências de chutes e o Kung Lao usou o chapéu como serra! Isso basta!

'Mortal Kombat' se apega as referências e aos easter eggs para contar sua história, muito mais do que na dedicação em dar profundidade aos personagens e tramas. E isso é errado? Para alguns sim, para outros, só confirma que certos filmes não estão ali para entregar conceito ou camadas. O seu papel é divertir, trazer nostalgia e gerar comentários entre amigos! Nisso, este Mortal Kombat se faz exímio!

E por mais que a direção não encontre personalidade e em poucas sequências consiga entregar uma inventividade atrelada aos elementos dos games, ambientações, design e caracterização consegue ter seus acertos!

Ao final, nem tudo é tão ruim, como nem tudo é tão excelente, há sempre um meio termo a ser encontrado, ou a conhecido fato que é "tão ruim que dá a volta e fica bom"! E nesse caso, nem volta deu, digamos que foi mais uma "meia lua pra frente e soco alto"!

Mortal Kombat está em cartaz nos cinemas! 

Will Weber
Geek Guia

Tags
sombra

Promoções
sombra

Artista em Destaque

63
7

Amigos da Super