Notícias
  10/06/2020 às 9h48

The Last Days of American


14
2
The Last Days of American

O sonho americano já foi retratado diversas vezes no cinema, a busca pela fama, fortuna e um status social elevado. Mas de uma maneira completamente contrária, a nova produção da Netflix, baseada em quadrinhos, desfaz completamente o conceito de uma América do Norte perfeita.

Saem as ambições por dias melhores e sobram apenas os crimes, a violência e uma tentativa de controlar a população.

Assim, em The Last Days of American Crime encontramos literalmente o último grande crime da história americana. Pode até ser aquele que irá encerrar tudo, contudo faltou ânimo nas suas mais de duas horas de duração.
Americanos e suas "americanices"!

Os Estados Unidos está sob uma onda de crimes.

Por isso, o governo decide criar um dispositivo que age diretamente no cérebro da população que inibe todo e qualquer comportamento violento. Contudo o ladrão Graham Bricke (Edgar Ramirez) tem um plano e resolve fazer um último assalto na noite em que o sistema entrará em funcionamento. Para isso, se junta a outros dois bandidos, o que pode deixar as coisas ainda mais complicadas.

Olivier Megaton (Busca Implacável 3, Colombiana) é quem comanda a produção fazendo o que faz de melhor, ação desenfreada!

Se formos apenas analisar por esse ponto, a produção se trata de um primor.
O diretor consegue criar boas sequências de fuga, tiroteios, perseguições e explosões que ocorrem sem a necessidade de um sentido (A invasão a casa de uma família da máfia é sensacional). Ao mesmo tempo, se trata de uma adaptação violenta, já que as páginas dos quadrinhos criadas por Rick Remender e Greg Tocchini em 2009, eram famosas por isso. Logo tempos muitas escoriações, torturas, abuso de drogas, mais machucados e muito sangue. O que fica maior e mais evidente no segundo ato do filme.

E eis então alguns dos problemas da obra, a duração e o ritmo.

De início parece que estamos aquela velha história do ladrão que perdeu tudo e que agora tem um último plano para mudar de vida, além de uma vingança pessoal. Isso só se modifica lá pelo segundo ato, e nisso já passamos por mais de uma hora e meia de exibição, onde só vimos idas e vindas pela cidade, o que ajuda na contextualização de alguns personagens, mas nada de profundo aqui! Ou seja, até chega ao que interessa, Olivier escolhe encher a história de caminhos, sendo que só precisava de um para acertar em cheio sua adaptação!

+ Siga a rádio FM Super também pelo Facebook, Instagram e YouTube.

A narrativa então nos traz para dentro da história de Bricke, porém com a narração de Shelby, o que praticamente entrega boa parte da trama à medida que vamos chegando ao seu final.

Mas para isso, é preciso entender que o ladrão embarcou nessa por conta da morte do irmão na prisão, que suicidou, algo que o estimula ainda mais a querer derrubar o sistema criado pelo governo e roubar a quantia pretendida.

O roteiro se encarrega de nos contextualizar bem o cenário que encontramos, a forma como o país se encontra, as novas leis e como as pessoas lidam com tudo isso. Principalmente os personagens que acompanhamos.

O cenário violento toma conta de todos os momentos, fazendo com que nenhum aqui saia ileso das escolhas que são feitas. Algo interessante e aceitável já que não se trata de uma obra onde temos heróis e o velho discurso de salvação. Aqui é cada um por si e é melhor abaixar pois estão atirando.

Entretanto, por mais que esse conceito oposto ao "sonho americano" se torne mais forte ao passo que trama se desenvolve, leva tempo demais para que esses fatos ganhem força em tela, por isso, precisamos passar por diálogos sem sentido, com uma ponta filosófica, situações que não contribuem com a trama principal e o enfrentamento de outros bandidos que mais cortam o clima da narrativa do que ajudam a engrenar.

Logo, o plano para o último crime americano acontecer é altamente engenhoso, porém até que ele seja executado falta empolgação para que a história tenha relevância!

The Last Days Of American Crime foge do que estamos acostumados dos quadrinhos no cinema, apresentando então uma narrativa que usa da violência, com um toque de crítica social, para apresentar um contexto oposto do ideal norte-americano.

Com uma direção que sabe como criar boas sequências de ação, a produção consegue entreter nesse sentido, apesar de um roteiro que leva tempo para chegar no ponto mais interessante da história!

Se para alguns o sonho perfeito é conquistar o mundo através de seu talento para outros, nada mais fácil que usar um caminhão para levar dinheiro e derrubar fronteiras.

Cada um com seu estilo de vida, escolhas, mas o que importa mesmo é derrubar sistemas!

The Last Days Of American Crime está disponível na Netflix!

Will Weber
Geek Guia

Tags
sombra

Promoções
sombra

Artista em Destaque

239
43

Amigos da Super