Notícias
  30/09/2019 às 18h18

Super Dica de Cinema: Hebe


1
0
Super Dica de Cinema: Hebe

Super Dica de Cinema: Hebe – A Estrela do Brasil

O cinema brasileiro tem uma paixão por contar histórias reais, que vão desde cantores populares a figuras políticas. Logicamente, passando por uma das mídias mais importantes do nosso país, a televisão.

E para ilustrar os anos onde havia um grande público acompanhando uma das maiores comunicadoras do país, Hebe: A Estrela do Brasil, expressa não apenas a força de uma mulher lutando contra questões políticas e sociais, mas também enfrentando problemas pessoais, para manter sua presença, voz e ideais presentes na história na tv nacional. Tudo isso com uma impressionante atuação e caracterização de Andréa Beltrão.

Década de oitenta no Brasil, a censura ainda paira sobre os meios de comunicação. E o programa de Hebe Camargo não está agradando os políticos, assim, decidida a mudar, a apresentadora se vê obrigada a deixar a emissora que está, porém sua vida pessoal e carreira também irão sofrer consequências com os novos rumos que irá traçar a partir disso!

Maurício Farias comanda a produção indo além do que estamos acostumados das outras cinebiografias nacionais, entrando no hall de grandes filmes como Bingo - O Rei das Manhãs.

O diretor escolhe movimentar sua câmera de um jeito onde a nossa visão do público se funde ao olhar da protagonista. Quando passa por entre os corredores da emissora, entra em sala ou conversa de forma enfática com o diretor do canal, há um trabalho de transformar esses momentos em grandes embates através de diálogos diretos e expressivos. Em sequências, onde Hebe sai dirigindo por São Paulo, sozinha, somos entregues há um momento belo, artístico, onde a luminosidade cria uma atmosfera melancólica que encaixa ainda mais nuances a uma figura tão importante.

Sendo assim, a escolha de percorrer entre a vida pessoal e a carreira da apresentadora torna a narrativa interessante.

Nós conhecemos a apresentadora, sabemos os seus trejeitos, as frases emblemáticas e sua postura de uma diva do espetáculo, mas existem situações que o roteiro se encarrega de nos revelar de forma surpreendente. O comportamento de Hebe ao enfrentar grandes nomes da política para manter o seu discurso a favor dos que chamava de "excluídos", o seu relacionamento complicado com o último marido e as tentativas de se fazer presente na vida do filho.

A construção do texto faz um trabalho de apresentar ao público camadas de uma personalidade imponente, porém repleta de medos. E por mais se trate de uma biografia, a figura criada aqui é como de uma personagem fictícia, que assume a imagem de diversas mulheres e seus problemas do dia a dia, e em uma época tão tempestuosa, ousava ir além do que era uma regra.

E para que tudo isso se tornasse emblemático, Andréa Beltrão eleva o nível das atuações em uma cinebiografia. O tom de voz, movimentação, expressões e postura fazem com que atriz incorpore Hebe de um jeito surpreendentemente competente. Beltrão além de tudo, vai do cômico ao dramático expressando um talento ímpar que a torna responsável por conduzir a história a seu favor, transformando a protagonista numa figura quase fantástica.

Hebe: A Estrela do Brasil é uma produção que expressa a história da televisão de uma maneira interessante. Logo, a direção de Maurício Farias se encarrega de contextualizar e dar vida a época, além disso, coloca sua protagonista como uma força de mudança, sem deixar de lado seus dilemas e inquietações. Tudo isso também devido ao brilhantismo de Andréa Beltrão.

Entre liberdade e conservadorismo, Hebe nos ensinou que é possível enfrentar quem ainda pensa num Brasil exclusivo de poucos, e como uma mulher, em meio a um universo dominado pelo machismo, se torna a verdadeira rainha de uma mídia que parece inatingível, mas que se abala quando a verdade é exposta. E não estamos falando daquela verdade "editada" para o programa ir ao ar!

Will Weber
Geek Guia

sombra

Promoções
sombra

Artista em Destaque

89
15

Amigos da Super