Notícias
  06/11/2018 às 16h59

Dondoni é condenado a 24 anos de prisão dez anos após tragédia


1
0
Dondoni é condenado a 24 anos de prisão dez anos após tragédia

Após dez anos, o empresário Wagner Dondoni foi condenado a 24 anos e 11 meses em regime fechado por dirigir embriagado e causar a morte de três pessoas da mesma família, em Viana. O juiz do caso Romilton Alves Vieira Junior, que é de Itapemirim, decretou que o condenado seja preso.

O Ministério Público informou que não ficou satisfeito com a pena, que na última segunda-feira (05), o empresário recebeu após o julgamento.

O promotor, que participou de toda a audiência, disse que pretende recorrer, já que informou que o juiz do caso entendeu como dolo eventual, ou seja, que Dondoni não teria a intenção de provocar as mortes.

+ Siga a rádio FM Super também pelo Facebook e pelo Instagram.

Para o Ministério Público do Espírito Santo (MPES), após ter bebido e dirigido, o empresário assumiu o risco de provocar mortes nas estradas. Por isso, o MPES pretende recorrer. A decisão de recorrer também pode partir da defesa de Dondoni, o advogado Rogério Pires Thomaz disse que irá conversar com a família do empresário nesta terça-feira (06) para saber como irá proceder.

Julgamento
O julgamento do caso Dondoni começou na manhã de segunda-feira (05). Wagner Dondoni, não compareceu ao júri, no Fórum de Viana. O advogado do acusado, Rogério Pires Thomaz, explicou o não comparecimento de Dondoni.

Para o advogado, é um direito constitucional do réu ficar em silêncio. Thomaz também relatou que existem dois fatos que precisam ser destacados. ‘’Conforme está demonstrado no processo, inclusive com perícias, esse incidente ocorrido não foi resultado de causa do Wagner. Está demonstrado nos autos que embora ele tenha ingerido a bebida alcoólica, o outro veículo que entrou na contra-mão. Uma coisa não exclui a outra. Ele teve uma infelicidade de um veículo invadir a pista dele’’, declarou.

Além disso, o advogado afirmou que foram dua perícias. ‘’A própria perícia do Espírito Santo falou não pode afirmar que ele estava em excesso de velocidade. A defesa sequer se preocupou em fazer uma perícia paralela, confiou na própria perícia do Espírito Santo’’, disse.

Dondoni, como é conhecido, é acusado de triplo homicídio doloso e mais seis tentativas de homicídio. Na manhã no dia 20 de abril de 2008, a caminhonete que ele dirigia colidiu com um carro de passeio, dirigido por Ronaldo. O acidente aconteceu na BR 101, em Viana, e matou a esposa e os dois filhos de Ronaldo.

Horas após a batida, Wagner Dondoni realizou exame, que comprovou que ele dirigia embriagado no momento do acidente. Encaminhado ao DPJ de Cariacica, Dondoni pagou fiança e foi liberado.

Entenda o caso
No dia 20 de abril de 2008, uma caminhonete guiada por Wagner Dondoni colidiu com um carro dirigido por Ronaldo Andrade, por volta das 07 horas da manhã. O acidente aconteceu na altura do quilômetro 304, da BR 101, em Viana. Ronaldo e a família seguiam para Guaçuí, no sul do Estado.

Morreram no acidente: os filhos de Ronaldo, Rafael Scalfone Andrade, de 13 anos, e Ronald, filho caçula, 03 anos. Maria Sueli Costa Miranda, 29 anos, mulher de Ronaldo, ficou internada três dias mas não resistiu.

No dia do acidente, um exame de embriaguez feito no empresário por coleta de sangue dez horas após o crime comprovou que Wagner Dondoni dirigiu sob influência de álcool. Logo após o acidente, Dondoni foi detido e encaminhado ao DPJ de Cariacica, mas foi liberado após pagar fiança em pouco mais de R$ 2 mil.

No dia 24 de abril de 2008, Dondoni foi novamente preso ao depor, mas em setembro daquele ano, foi novamente posto em liberdade.

Por Folha Vitória 

Link da matéria original: Dondoni é condenado a 24 anos de prisão dez anos após tragédia
 

Tags
sombra

Promoções
sombra

Artista em Destaque

243
43

Amigos da Super