Notícias
  21/12/2020 às 13h46

A Festa de Formatura


8
1
A Festa de Formatura

Trazer uma obra de sucesso de outra mídia não é uma tarefa tão simples! Principalmente quando estamos falando de um sucesso da Broadway que foi capaz que quebrar paradigmas conservadores. E por mais que os pontos importantes da história sejam mantidos, de nada adianta o colorido, o engajamento e a mensagem inclusiva se a atenção nos detalhes é maquiada por outros pontos, justamente para distrair o espectador das falhas.
Neste modo, A Festa de Formatura, da Netflix, consegue emplacar uma mensagem importante para os dias atuais que deve servir de inspiração para muitas pessoas, contudo no que se trata do aspecto técnico, o musical infelizmente não consegue trazer encanto em todos os momentos. Ou seja, nem sempre Ryan Murphy acerta 100%!

Emma mora em uma cidade do estado de Indiana, nos Estados Unidos e seu único desejo era poder levar a namorada no baile de formatura. Só que o grupo de pais conservadores da cidade, vetou a jovem de participar da festa numa atitude completamente preconceituosa. E em meio a comoção e o apelo popular, um grupo de atores fracassados que precisa retornar aos holofotes, decide ajudar a jovem por conta das questões midiáticas. Entretanto, o que parecia ser apenas algo de uma adolescente do interior, se torna uma jornada de descobertas para todos que estão em volta de Emma.

+ Siga a rádio FM Super também pelo Facebook, Instagram e YouTube.

Ryan Murphy dirige a produção que adapta o espetáculo da Broadway que está em cartaz desde 2018. E tal o ato de "copiar e colar", Murphy não realiza um trabalho exímio o quesito de transpor os acontecimentos de uma maneira mais fluída para o texto cinematográfico. Algo que muitos já tentaram e também cometeram as mesmas falhas, já que o aspecto teatral custa a encontrar formato dentro de um longa-metragem se não sofrer algumas modificações.

Por isso, o trabalho do diretor não consegue dosar os toques de comédia, o drama e tão pouco, os números musicais que seriam sua especialidade. Tanto que em algumas dessas sequências falta emoção e sobram caricaturas do que seriam verdadeiramente aquelas personas em tela. Logo, outro ponto que prejudica a película é sua edição que não consegue acertar o tempo dos cortes, fazendo personagens simplesmente surgirem em outros locais sem o mínimo de explicação.

E se formos pontuar as canções especificamente, poucas ganham real sentimento com relação a história contada. 'Just Breahe' é cativante, 'It's not About Me' é constrangedora, divertida e com uma dose de crítica interessante. 'Love Thy Neighbor' é essencial e 'Unruly Hearty' é um hino para todos, todas e todis! Já 'Its Time to Dance' consegue contagiar e trazer aquele sentimento esperançoso! Porém, de um musical com mais de duas horas de exibição, são poucas músicas em comparação ao todo!

Talvez grande parte disso seja um problema de escalação. James Corden é caricato, nada convincente e não consegue dosar as características necessárias de seu personagem, levando isso para as canções. E verdade seja dita, homens heterossexuais ainda interpretando personagens gays não sabem e não possuem a vivência para entregar o que se espera. Meryl Streep aqui conseguiu quebrar a sua mística de "estar sempre ótima" pois diversas vezes parecia apenas realizar tudo no automático. Nicole Kidman infelizmente sub aproveitada, sendo reduzida a uma piada que se repete e uma música cheia de referências a Broadway que certamente não farão sentido para o público em geral.

Entretanto, quem realmente merece destaque é Jo Ellen Pellman, intérprete de Emma que imprime todos os dilemas, questionamentos e conflitos que uma pessoa dentro da comunidade LGBTQ+ vivencia em uma sociedade tão preconceituosa, e certamente, é impossível não se emocionar com ela em diversos momentos.
Deixando de lado os aspectos técnicos e focando na frase acima, ela é dita por Emma antes de cantar ao violão uma canção sobre o que sente, como vê seu relacionamento e o quanto encoraja outras pessoas que vivem às sombras com sua forma de amar, em encontrar finalmente o caminho para se verem livres de toda e qualquer amarra.

No início dessa crítica, ficou claro que a mensagem do filme é o que mais salta aos olhos e isso é impossível de remover do trabalho de Ryan Murphy. Uma personagem como Emma, jovem, lésbica, de uma cidade do interior, enfrentando um grupo conservador que a trata como algo indigno e até mesmo usando da religião para condená-la é o retrato de muitas pessoas ao redor do mundo. E até mesmo deste que escreve essa crítica.

Esta não é uma produção "lacradora", mas sim a experiência de muitas, muitos, muites que passaram pelo ensino médio, não no mesmo aspecto de "festa", mas que ouviram comentários, falas, foram alvo de piadas, bullying e ainda hoje não encontraram o momento certo de se libertar.


O grande ponto essencial do texto de 'A Festa de Formatura' é mostrar que a vida e suas oportunidades devem ser iguais para todos! Que os conceitos que criamos e os discursos que possuíamos se tornam tão automáticos que dificultam o pensamento diversas vezes. Porém, a força que cada um de nós precisa para enfrentar quem nos acusa todos os dias, sempre esteve dentro de nós, seja através de canções, seja através da fala, seja através da postura, não há como conter alguém em sua totalidade verdadeira e por isso Emma nos representa!

A Festa de Formatura é cativante, divertido e possui uma mensagem tão importante que é capaz de minimizar as inconsistências técnicas presentes em sua produção. Ao mesmo tempo, o filme é uma grande lição sobre aceitação, respeito e o quanto é possível vencer sistemas conservadores através da tolerância e do amor!

Ryan Murphy não acerta no todo, pois o diretor se esforça em dar um tom teatral a sua obra, o que prejudica o seu conjunto, mas quando paramos para analisar a narrativa e a história de sua protagonista, encontramos o retrato de inúmeras pessoas, tornando essa uma representação impactante e emocionante!
Ao final, por mais que existam nomes "oscarizados" e mais tempo de tela para os famosos, esta é uma história sobre uma jovem enfrentando um mundo cruel, opressor e intolerante, por isso, acima de qualquer grande diva do cinema e apresentador consagrado, não podemos deixar a mensagem passar! Pois ela importa! É sobre as várias e vários "Emmas" que existem por aí!


A Festa de Formatura está disponível na Netflix!

Will Weber
Geek Guia

Tags
sombra

Promoções
sombra

Artista em Destaque

185
23

Amigos da Super